domingo, 21 de novembro de 2010

personagens do Fado (II) - o Homem do Saldanha



O Homem do Saldanha morreu no dia 10 deste mês. Também conhecido por "o Senhor do Adeus", ele dedicava o tempo a cumprimentar desconhecidos, com acenos e sorrisos. Era um verdadeiro ex libris da cidade de Lisboa, levando a alegria ao Restelo de dia e à praça do Saldanha de noite.

A simpatia do Homem do Saldanha quebrava o gelo e obrigava-nos a sair do conforto do anonimato, desta indiferença social que a cidade teima em nos impor. Diz a gente que este senhor cumprimentava os desconhecidos porque se sentia só. Podemos julgar que a sua postura no dia-a-dia era fora do normal, mas isso não quer dizer que ele não tivesse toda a razão em encarar a vida assim. Penso até que tinha. E parecia ser, acima de tudo, um homem genuíno e bondoso.

O destino, o amor impossível de uma mulher, a solidão e a saudade, o adeus, o carinho tardio da sua cidade - depois da morte - são alguns dos ingredientes que fazem desta história um fado. A vida deste senhor inspirou então esta interpretação em dueto de Carlos do Carmo e Marco Rodrigues, e com letra de Boss AC, que podemos ouvir neste vídeo.


A morte do Homem do Saldanha teve um importante impacto nas pessoas, e os meios de comunicação aperceberam-se rapidamente disso, dando toda a visibilidade mediática à sua história, espremendo-a até à exaustão. E isto lembra-nos que, entre a confusão mediática e os problemas do dia-a-dia, o que as pessoas querem desde sempre e em qualquer idade das suas vidas é ouvir boas histórias. Esta história, para além de rica, era real e era fadista. Também as empresas e os políticos, quando comunicam, devem ter isto em conta: as pessoas querem ouvir boas histórias. Por boas histórias entenda-se que terão de ser credíveis (nunca mentir), reais, mas com uma narrativa cuidada e interessante.

O Homem do Saldanha chamava-se João Manuel Serra. Morreu aos 79 anos. Que descanse em paz e que Deus o acolha no Céu, onde sabemos que a solidão não existe mais. Porque para quem acredita, a sua história ainda não acabou.

(escrito a partir deste primeiro post publicado no Parar Para Pensar, com alguns cortes e adições)

-------

Artigos relacionados:

2 comentários:

Sinais no Mundo... disse...

Passei por aqui como sempre...hoje, de maneira especial , queria recordar-te que morri contigo no pensamento...


Sê Feliz o teu Amigo de todas as Horas...

Cristo

Eliane F.C.Lima disse...

Que história linda! Que linda canção! Fico lembrando do profeta "Gentileza", aqui do Rio de Janeiro, motivo da canção de mesmo nome da cantora Marisa Monte e autor da tão famosa frase "Gentileza gera gentileza" (ver 1. http://www.youtube.com/watch?v=P8Tt_E_mSkA&feature=fvw e 2. http://www.youtube.com/watch?v=w5jDjjTLyxs&feature=BF&playnext=1&list=QL
3.http://www.youtube.com/watch?v=4OoTvxclld0&feature=related (a canção sobre ele e seus escritos no muro, que, hoje, felizmente, estão preservados de novo).
Eliane F.C.Lima (http://poemavida.blogspot.com)