quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

no carnaval da vida

-
- Gostarias que eu fosse a tua gueixa, menino bom?
- Sim, também. Mas, sobretudo, minha mulher. Vim a Tóquio propor-te casamento pela enésima vez. Desta vez convencer-te-ei, já te aviso. E, a propósito, desde quando é que andas de autocarro? O chefe dos Yakuza não te pode arranjar um carro com motorista e guarda-costas?
- Mesmo que pudesse, não o faria - disse-me ela, sempre agarrada ao meu braço. - Seria ostentação, a coisa que os japoneses mais detestam. Aqui é mal visto uma pessoa diferenciar-se das outras, seja no que for. Por isso, os ricos disfarçam-se de pobres e os pobres de ricos.
-
in "Travesuras de la niña mala", de Mario Vargas Llosa
-

2 comentários:

Maria disse...

Tou a ver que estás empenhado nesse livro, ja eu nao tenho tido tempo para as minhas leituras :(, a respeito de livros, ontem o nosso querido prof de dip ofereceu-me uns livros escritos por ele! ahah, deve estar a ficar chalado, nunca lhe vi tanta simpatia!
beijo na bochecha!

António Vieira da Cruz disse...

Maria, o livro tem pormenores (ou promenores? nunca sei.) muito interessantes no meio de uma história que não é nada de especial. Não sei se o vou acabar, só se for por teimosia. Quando passar a outro livro, continuarei a pôr aqui excertos interessantes das coisas que vou lendo!

Eheh, a sério? Tenho saudades desses filmes! Só de pensar que fechei o curso com o seu 10 numa oral de recurso... ufa.

Beijinhos Mary, saudades! Espero que voltes a arranjar tempo para ler, não só porque gostas mas também porque tens bom gosto e tens uns óptimos books reviews lá no Retrato de Vida! Bjs