segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

metas simples

-
- E tu? - perguntou-me, pegando-me pelo braço. - Tu quê, meu velho?

- Eu, nada - respondi. - Eu, aqui, como tradutor na Unesco, em Paris.

Hesitou um momento, receoso de que aquilo que me ia dizer pudesse magoar-me. Era uma pergunta que, sem dúvida, estava havia tempo a queimar-lhe a língua.

- É isso que queres ser na vida? Nada mais que isso? Todos os que vêm para Paris aspiram a ser pintores, escritores, músicos, actores, encenadores de teatro, fazer um doutoramento ou a revolução. Tu só queres isso, viver em Paris? Nunca o engoli, velhote, confesso-te.

- Bem sei que não. Mas é a pura verdade, Paúl. Em miúdo, queria ser diplomata, mas era só com o fito de me mandarem para Paris. É isso que quero: viver aqui. Achas pouco?


in "Travesuras de la niña mala", de Mario Vargas Llosa
-

2 comentários:

LBM disse...

Continua!

Continua com a força de sempre, com a tua visão!

Continua porque todos temos muito que aprender contigo!

Abraço

António Vieira da Cruz disse...

Grande Luís, obrigado pelas tuas palavras, que são um forte incentivo para continuar a esforçar-me.

Quanto a aprender, ponham mas é os olhos neste grande LBM, que une a sabedoria à poética e à amizade, numa rara mas ganhadora combinação.

Um abraço